Diálogo

Comentários

  1. será que esse preconceito contra a fotografia em relação a outras expressões ocorre porque o povo confunde criação e mediação?

    sei lá, parece que as pessoas só consideram o momento em que o pintor pincela, o escultor lapida e o fotógrafo aperta o botão. parece que nunca refletem sobre o que vem antes disso. é como se uma imagem criada pelo homem, concebida pelo seu imaginário, tivesse que ter uma externalização demorada. quanto mais tempo leva, mais humano é…

    uma fotografia pensada tem tanto poder criativo em sua composição quanto qualquer outra expressão visual imaginada.

    1. Acho que é tudo fruto do fato da natuza da fotografia depender de um referente concreto. Só se fotografa o que está diante da câmera…. O pintor pinta o que ele quiser, sem depender da concretude das coisas… São processos criativos diferentes e ambos cheios de poder. Mas a fotografia é cheia de particularidades polêmicas desde sua criação: é arte, é tecnologia, é uso social popularizado, é ciência, é comunicação. Complicada e peculiar, ao mesmo tempo que democrática e multimidiática…

  2. É isso aí, belo texto, a fotografia é um lugar em que se encontram um autor, a cultura e o mundo de visualidades contingentes que está diante da câmera. Negar qualquer uma dessas instâncias é mutilar a fotografia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *