Diálogo

Comentários

  1. Parabéns Val! Esse sem dúvida é o caminho mais divertido, seja para aprender fotografia, arte ou simplesmente aprender a viver. Nada é tão sério assim… e tudo que é íntimo e pessoal acaba sendo verdadeiro e universal. Já dizia Rilke e uns outros tantos artistas, criar é uma necessidade… o resultado é consequencia. (estava na mesma crise… rs)

  2. Sobre essa “obrigação” de ser artista (e outras de nossas angústias) tem um texto recente de Juan Antonio Molina Cuesta, curador e crítico de arte mexicano, em que ele diz assim:

    “Lo que más daño ha hecho en la llamada “cultura fotográfica” no es el supuesto de que cualquier fotógrafo puede ser artista, sino el imperativo de que tiene que serlo. Parece como si se pensara (¡Ay Baudelaire!) que sólo el arte puede redimir a la fotografía de algún incierto pecado original. ”

    Para quem quiser ler o texto todo e refletir mais um pouquinho, segue o link: http://migre.me/gC6Du

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *