Diálogo

Comentários

  1. Lara, muito legal o teu texto e acho muito importante que essa discussão chegue aqui. Questões como a urbanidade, a mobilidade e a sustentabilidade ultrapassam qualquer barreira temática e ficamos muito felizes de ter esses temas no nosso blog.
    Acho importante pontuar também sobre o papel da imagem nesse tipo de movimentação urbana e os novos espaços de reafirmação dos preconceitos.
    Vi muita gente fotografando no #OcupeEstelita, alguns tantos também filmando – iphones, galaxys, celulares mais simples, mas também 5Ds, D80s, olympus pens, etc.. O resultado é que as imagens fazem uma referência importante ao evento e mais ainda, se tornam uma das tônicas de atuação. Dava a impressão de que tinha mais fotógrafo que gente às vezes mas, se por um lado, isso ocorre porque as pessoas fotografam mais; por outro lado, ocorre também porque mais e mais pessoas têm consciência do papel da imagem como mobilizador social.
    Acho isso um aspecto muito importante e muito minimizado por alguns comentários reducionistas e preconceituosos que tenho lido na internet – críticas a uma manifestação feita por uma classe média portadora de iphone e que mora em prédios altos. Falo do iphone apenas como uma ilustração, por achar que esse tema expõe bem alguns preconceitos classistas que se reforçam hoje em dia: em um ponto, a recorrência de usuários do iphone que se sentem diferenciados, elitizados, novos vips de uma fotografia digital cada vez mais popular, que se entristecem em ver o seu camarote invadido, vide a recente polêmica do instagram no android; em outro ponto, o preconceito contra o usuário de iphone, visto como classe média alienada, capitalista e que, portanto, não possui direito ao protesto e a indignação em manifestações sociais. É impressionante o reducionismo de ambas as posturas e o quanto elas ironicamente se complementam e se reforçam.
    Acho sim que no fim das contas, o iphone pode ser usado para banalizar as questões diárias, mas acho também que pode revolucionar o acesso à imagem e enriquecer também o papel da fotografia no registro da paisagem da nossa cidade e das nossas narrativas urbanas. Parece que, para reforçar as distinções sociais, qualquer desculpa é suficiente.

  2. Lara
    O importante são os cidadãos estarem lutando para criar OPORTUNIDADE DE QUALIDADE DE VIDA para todos – o que seria a obrigação das esferas de governo e políticos.
    A verticalização em nossa cidade – no local de uma casa agora aparecem 132 (4 apartamentos por andar X 33 andares = 132) e as ÁREAS VERDES não aumentam nesta proporção. Ao contrário o que temos visto são as Praças serem reduzidas seja porque as vias são alargadas, seja porque nelas são construídos grandes equipamentos.
    Outro fato importante do movimento É a luta pelo DIREITO À MEMÓRIA – a memória de um espaço ferroviário ÚNICO – e apesar da estratégia de DEIXAR RUIR, o que se tem lá é perfeitamente RECUPERÁVEL – pode ser INTEGRALMENTE PRESERVADO.
    Na década de 70 demoliram a 2a Estação mais antiga do Brasil – Estação de Cinco Pontas – para construção da Avenida Sul e do viaduto. Este mesmo viaduto que agora se quer como moeda de mitigação para conceder a DESTRUIÇÃO de todo um PÁTIO FERROVIÀRIO de grande porte vinculado à atividade portuária.
    Fernanda

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *